Clareira Central

Novo Tópico   Este Tópico está bloqueado. Você não pode editar as mensagens ou responder.

Página 37 de 40 Anterior  1 ... 20 ... 36, 37, 38, 39, 40  Seguinte

Ir em baixo

Flagelo-da-Wyrm - Espólio-Cybenk | Assembléia

Mensagem por Flagelo-da-Wyrm em Sab Abr 07, 2018 7:41 pm

Flagelo acompanha o todo o processo seguindo o protocolo, achava todo aquele processo muito estranho e semelhante as missas que assistia na infância.


Acompanha mas sem olhar na direção os comentários da Alpha e do Juiz e quando recebe o olhar da Presas de Prata retribui com um acenar de cabeça.


Após todas as falas direciona para a figueira e doa gnose para o Totem, a sua visão era deslumbrante, algo nunca visto em toda sua vida.


*Se existe algo magnífico nisso tudo com certeza é esse agora.*


E o momento dos combates finalmente são anunciados e logo na primeira luta poderia ver um poderoso Fenris em ação mas por pouquíssimo tempo, o embate contra um Andarilho do Asfalto dura acaba em um relance.


Flagelo direciona seu olhar para Usher e abre um sorriso mostrando suas presas.


*Em breve será meu sangue balhando essa clareira...*


Volta sua atenção para os embates com um misto de tensão e tesão, era difícil entender como sua mente estava funcionando.
avatar
Flagelo-da-Wyrm

Mensagens : 115
Data de inscrição : 12/03/2018
Idade : 37
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Pantaneiro (Crinos ) - Todos no Caern

Mensagem por Yorick MacAlister em Sab Abr 07, 2018 7:45 pm

Pantaneiro nota Victor conversando com Kiba e Kiba dar um passo atrás e se afastar. Fica meio sem entender, mas aquilo parecia ser parte do ritual. E tinha que convir, o ritual era forte. Com uma Klaive negra que Victor fez brotar em sua mão, fez sangue brotar da mesma e induziu Luke a fazer a mesma coisa. Se cumprimentam e um raio cai nos dois Senhores da Sombras fazendo iluminarem. Por serem irmãos de tribo, nada mais justo, mas nesse momento já estranha o porque de Kiba ficar de fora e também aquele maldito raio que caia com facilidade quando Victor estava perto.

"Foi esse raio que caiu em mim... que filho de uma rapariga arrombado..."

Lembra-se do episódio e fica puto. E depois vai seguindo os uivos e prestando atenção em cada palavra que saia do líder da Seita e daqueles que era do alto conselho. Juramentos de lealdade eram feitos. Discursos fortes eram feitos e em sua maioria os Fiannas se mantinham calados. Era uma situação difícil que sua tribo estava vivendo naquele momento. Pantaneiro ainda calado, ao ver o Boitatá ser invocado, vai até o fogo e deposita sua porção de Gnose em oferenda ao mesmo.

"Vai começar..."

É a constatação óbvia quando se é dada a largada do torneio. Um andarilho contra um fenris. A artimanha da Weaver contra a força bruta de um fenris. No início do duelo um raio é disparado e por muito pouco não pega no Fenris. Aquilo já era o final da luta porque ao ver aquilo com os olhos, Pantaneiro até se assusta. Eram dois golpes poderosos e quem acertasse primeiro, seria o vencedor claramente. Restava para Pantaneiro depois de muitos uivos, de muitos discursos, nomeações e já sangue, aguardar para ver mais sangue. A verdade é que toda aquela situação o incomodava e a forma de dar o troco era vencendo os Senhores das Sombras ou os Fenris no torneio. Ver eles na liderança depois de tudo que houve, era de certa forma uma afronta, mesmo que Estrela-da-Manhã fosse culpa. Logo seria sua vez em ocupar o centro do Caern e nele faria um estrago em quem fosse seu adversário. Era necessário fazer aquilo para mostrar que os Fiannas não haviam morrido.

_____________________________
OFF GAME:
Pantaneiro doa 01 ponto de gnose temporário para o Totem.
avatar
Yorick MacAlister

Mensagens : 633
Data de inscrição : 28/06/2017
Idade : 28

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Sangue-dos-Quatro-Ventos (crinos) - Guardiões, Todos

Mensagem por Deganawida "Degan" Oneida em Sab Abr 07, 2018 8:09 pm

O Wendigo escuta Helenna, que atribuía a mudança de Asa Solitária de tribo à covardia. Ele sabia que o ex-Presa de Prata tinha seus problemas, mas não vê isso como covardia. Talvez ele fosse pouco esperto para algumas coisas, mas ele sabia que sair da tribo iria lhe dar um inimigo poderoso até o fim de sua vida... Ao menos Degan acha que ele sabia. 

Só espero que isso o que ele fez não afete o filho dele...

Em seguida, mais apresentações. O Wendigo simplesmente acompanha a cerimônia e escuta o discurso de Temido-como-Vulcões, falando sobre a Impura Perfeita. Ele respira fundo. 

Bom... Ele não testemunhou as coisas que eu passei na Umbra ontem... 

Degan pode ver Cordas-Trêmulas exasperada com a fala do Fenris. Vendo que Helenna havia comentado algo baixo com ela, faz um comentário curto e baixo para a Fianna:

" - Eu entendo que esteja preocupada. Eu também preferia que isso tivesse ficado entre os líderes de Tribo como tínhamos falado na outra noite... Mas ele deve estar ciente de que todos já sabem, ou pelo menos a maioria sabe, e quis mandar um recado para ninguém tentar nada contra você."

Eu deveria falar com ele mais tarde... Embora esse Caern seja abençoado pela Wyld, tantos enigmas como o da Coroa e o incidente de ontem me fazem pensar sobre sua proteção... Só peço que minha visão dessa tarde não se concretize...

O evento continua com as nomeações do Baixo Conselho. Degan apenas acompanha os nomes, porque ele realmente não conhecia muitos daqueles que eram indicados, até que o Mestre dos Rituais adentra o centro e o Boitatá é invocado. Ele passa os olhos sobre todos, mas se detém em alguns indivíduos. Degan não sabe ao certo o que o levava a fixar os olhos nesses Garou, mas imagina que possa ser alguma dívida espiritual. Teria que conversar mais tarde com Sussurros sobre aquilo, impedir que o Boitatá se perdesse era uma missão para os Puros afinal. 

Degan segue os demais Garou e doa um pouco de sua gnose ao Totem, fazendo uma reverência à serpente flamejante, outra para o Uktena e uma terceira para a Tartaruga. 

Irmão do meio, mesmo depois de tantos séculos, ainda consegue ensinar uma lição nova aos seus dois outros irmãos...

O Wendigo uiva em honra aos novos Garou que assumiam os cargos da Seita, na esperança de dias melhores e acompanha o início dos desafios: Um Andarilho contra um Fenris. Degan cruza os braços e assiste. Ele parece concordar com a Fúria Negra: suas tribos não gostavam dos Fenris, mas não havia como não dar crédito a eles pela vitória. O comentário de Helenna o deixa curioso. 

OFF: Degan doa 1 ponto de Gnose temporária ao Boitatá.


Última edição por Deganawida "Degan" Oneida em Sab Abr 07, 2018 10:59 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Deganawida "Degan" Oneida

Mensagens : 389
Data de inscrição : 01/07/2017
Idade : 42

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

ASSEMBLEIA PARTE VI - Torneio Ahroun Athro - Ancião | Torneio Ragabash Cliath

Mensagem por NarraDiva em Sab Abr 07, 2018 8:38 pm

Com a arena de combate novamente livre, a Mestre de Cerimônias toma o local ao centro da Clareira e diz:
 
‘- Para honrar o Boitatá e buscar uma vaga na semi-final do torneio Athro-Ancião do augúrio da Lua Cheia, chamo à Batalha, o líder do nosso Caern, Garras-do-Trovão, da matilha Bênção-do-Trovão e o membro da matilha Caçadores de Malditos, o Ahroun Athro dos Filhos de Gaia, Orgulho-Renascido.’
 
Orgulho-Renascido era mais odiado que o Andarilho. Tinha uma relacionamento assumido e público com Aedo-Campeão e é alvo de inúmeras vaias e insultos enquanto segue de cabeça erguida para o ringue de batalha. O líder do Caern, em Crinos, cumprimenta o Filho de Gaia com um aperto de mãos e um desejo de boa sorte.
 
Com os dois em seus respectivos lugares, o Mestre do Desafio dá início ao duelo. Garras-do-Trovão imediatamente toma a iniciativa do combate. O Senhor das Sombras avança com suas garras na direção do Filho de Gaia e o golpe parece que seria certeiro, mas o Filho de Gaia esquiva no último segundo. O Ahroun filho de Avô Trovão parecia não crer no movimento do Filho do Unicórnio. Ninguém conseguiu ver o movimento ao certo.
 
O Filho do Unicórnio tinha a iniciativa em seguida. Com o Senhor das Sombras errando seu golpe, o Ahroun sai da postura defensiva de seu dom e canalizando sua Fúria avança com suas garras em um movimento letal e surpreendente mas, dessa vez, é o Senhor das Sombras quem usa a Fúria para uma esquiva incrível que o coloca no flanco do seu oponente, lhe dando uma condição mais favorável ao ataque. E o golpe vem com as garras do Ahroun, mas em um movimento ainda mais incrível o Filho de Gaia esquiva mais uma vez.
 
- Não vai ser tão fácil assim, David.’ – diz o Filho de Gaia que tenta avançar com uma mordida contra o líder do Caern. O golpe é certeiro mas a pele resistente de David evita o pior.
 
Yanni não desistia. Entre um golpe e outro trocava olhares com seu marido, Aedo-Campeão que lhe incentivava. Ao passo que havia incentivo do Galliard a seita, em massa começa a cantar por Garras-do-Trovão. O Filho de Gaia avança com as garras e rasga o peito do líder do Caern que sangra. Os primeiros danos haviam sido causados e pareciam com alguma profundidade. O sangue pingava nas garras do Filho de Gaia. O líder do Caern não hesita em avançar com uma violenta mordida que também arranca carne e sangue do Filho de Gaia com similar violência. O Theurge tenta morder o Senhor das Sombras imediatamente em seguida, mas o Ahroun contra ataca com as garras na barriga do Filho de Gaia.
 
Imediatamente o Juiz se intromete e separa. Os danos no Filho de Gaia eram pouco maiores do que no Senhor das Sombras e a vitória é dada à Garras-do-Trovão.
 
Toda a Seita comemora. Yanni volta para perto de seu marido ignorando todos à sua volta. Havia lutado bem, mas havia perdido e perder, para ele, na primeira batalha, tinha um outro peso.
 
A Mestre de Cerimônias toma seu lugar e diz:
 
‘- Na próxima rodada desse torneio, disputando vaga na final, Glorioso-Punho-de-Odin, dos Crias de Fenris, enfrentará Mãe-da-Fúria, das Fúrias Negras e; Garras-do-Trovão terá pela frente Fúria-da-Tempestade em um duelo de Alto Conselheiros.’
 
Os Garous vibram, em especial os Wendigos que incentivavam seu líder que iria enfrenar o líder da Seita em seguida. A Mestre de Cerimônias, então, convoca o próximo duelo:
 
‘- Dois filhos da Barata irão abrir o desafio dos Lua Nova Cliaths. Chamo ao centro do duelo, por uma vaga na Semi-Final contra Sombra-da-Coruja, dos Peregrinos Silenciosos, Sussurros-da-Weaver e Mestre-dos-Magos.’
 
Mestre-dos-Magos era um garou franzino, não parecia em nada um combatente e segue bem humorado ao centro da Clareira Central. Os Andarilhos acompanham com peculiar interesse a disputa.
avatar
NarraDiva
Admin

Mensagens : 3219
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 34
Localização : Моско́вский Кремль

Ver perfil do usuário http://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Anda-Com-Espíritos

Mensagem por NarraDiva em Sab Abr 07, 2018 8:40 pm

O líder do Caern permanecia austero durante todo o processo do Ritual, não demonstra nenhum tipo de emoção na situação.
avatar
NarraDiva
Admin

Mensagens : 3219
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 34
Localização : Моско́вский Кремль

Ver perfil do usuário http://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espólio-Cyberpunk | Sangue-Sobre-a-Neve - Matilha Sangue Forte de Luna

Mensagem por NarraDiva em Sab Abr 07, 2018 8:42 pm

Usher balança a cabeça afirmativamente perante o comentário de Fenris e não tem como não pensar em como era irônico o fato do Fenris ver a Glória da situação e ele apenas imaginando como ia doer a porrada de seja lá quem fosse enfrentar. Usher se virava, mas não era um super combatente...
avatar
NarraDiva
Admin

Mensagens : 3219
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 34
Localização : Моско́вский Кремль

Ver perfil do usuário http://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Clareira Central

Mensagem por Victor Montenegro em Sab Abr 07, 2018 8:59 pm

*Que luta!* - É o único pensamento do Philodox.

O combate dos ahroun faz jus ao posto que defendiam e, tanto o filho do trovão quanto o do unicórnio dão tudo de si. Não é uma luta fácil, mas a vitória de David inflama os corações do Caern e o de Victor nao era exceção.

Com a vitória do Lider, Sentinela-das-Sombras uiva a plenos pulmões em sua glória... mas um breve pensamento lhe vem à mente.

*Não concordo com o que faz, mas seu valor é inegável, filho de Gaia. Tolos os que lhe vaiam.*
avatar
Victor Montenegro

Mensagens : 655
Data de inscrição : 28/06/2017
Idade : 32
Localização : Rio

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Kiba Valentine (Crinos) - Todos na Cena

Mensagem por Kiba Valentine em Sab Abr 07, 2018 9:26 pm

O Roedor de Ossos assiste calado enquanto a dupla realizava o ritual. Kiba lembrava parcialmente de como realiza-lo, mas o raio definitivamente lhe surpreende.
 
“Ta porra...”
 
O Ahroun logo recebi a liberação do líder do Caern para que pudessem voltar aos seus lugares e aquilo é um alivio para Kiba. Ele retorna para perto de Pantaneiro e sua matilha enquanto o Senhor das Sombras convocava os anciões que iriam compor o alto conselho.
 
As apresentações dos líderes que juravam lealdade a Garras do Trovão são assistidas em silencio. E definitivamente a revolta de Fênix de Prata era algo que ele esperava.
 
Muita coisa acontecia e no instante que o Boitatá é invocado o Roedor de Ossos lembra de outra desgraça naquela noite. A última parte de sua gnose havia sido gasta para curar Ronaldo e consequentemente não havia o que doar ao Boitatá.
 
“Puta que pariu de novo...”
 
Se não fosse ruim o bastante, Kiba vê que o espírito lança seu olhar sobre Grace e sobre um outro Garou que estava próximo a ela. Não fazia ideia de quem era, mas sente a Raça Pura muito similar à que ele mesmo possuía emanando do Garou.
 
O Ahroun tenta não pensar naquilo enquanto assistia os combates que começavam e os analisa para se preparar para seu combate. Ainda não sabia quem iria enfrentar, mas àquela altura do campeonato com certeza seu adversário sabia bem quem ele era.
avatar
Kiba Valentine

Mensagens : 529
Data de inscrição : 26/06/2017
Idade : 21

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Clareira Central

Mensagem por Igor Petrunov em Sab Abr 07, 2018 9:31 pm

Enquanto Helenna contava a situação de Kiba, no peito do Presas queimava um misto de raiva e profundo desprezo para o Roedor. Para Igor, era inconcebível um garou renunciar à descendência dos maiores Reis da história para tornar-se um pária, um lixo, um ninguém.

"Antes tivesse acabado com sua própria vida miserável, do que trazer essa desonra para a Tribo." - pensou o lua crescente, enquanto seu olhar agudo como o de um falcão atravessou Asa-Renegada do outro lado da fogueira.

Embora fosse jovem, e um tanto desprendido do estereótipo que as outras tribos tinham dos Presas de Prata, Igor tinha um profundo senso de compromisso e com a honra de sua própria tribo, o que lhe fora ensinado pelo próprio Arak.


- Pelo visto, nós é que saímos ganhando. - disse o filho do Falcão, num tom irônico, referindo-se à participação vergonhosa de Kiba no ritual.

Igor inspirou profundamente, e o ar saiu como a exaustão daquele sentimento ruim que momentaneamente se formara em seu peito. Passou a mão no rosto, tentando desanuviar os pensamentos e voltando a prestar atenção na Assembleia. Mais nomeações ocorriam e o lua crescente uivou a plenos pulmões quando o nome de Fênix-de-Prata fora anunciado. Era uma vitória ter alguém de sua tribo no Alto Conselho. O evento seguiu com mais nomeações, desta vez para o Baixo Conselho, e o theurge apenas tentou associar os nomes às pessoas, tentando memorizar quem era quem.

Então, quando o espírito totem finalmente se manifestou, o Presas curvou levemente a cabeça em respeito. Mas o que realmente lhe surpreendera foi quando a serpente de fogo sustentou o olhar sobre ele e Grace. Embora não soubesse exatamente o que aquilo significava, manteve-se confiante de que era um sinal de bom agouro.

Olhou para Grace, com um meio sorriso e expressão surpresa, estendendo as mãos e oferecendo ao totem uma porção de sua energia espiritual.

Logo em seguida começaram os combates e Igor pôde presenciar um duelo bastante rápido, no qual ele tinha uma grande inclinação a acreditar na vitória do Fenris, que se confirmou pouco depois.


OFF: Doa 1 de gnose temporária ao Boitatá
avatar
Igor Petrunov

Mensagens : 77
Data de inscrição : 04/04/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Grace(Crinos) - Helenna, Deganawida, Igor, Todos

Mensagem por Grace Tavares Conney em Sab Abr 07, 2018 9:43 pm

Grace não tinha certeza que todos sabiam. Por mais que aquilo estivesse longe de ser o segredo que deveria ser, e culpava os Senhores das Sombras por isso, não achava que todos aqueles rostos novos tinham como ter descoberto tão rápido, a não ser, é claro, que isso fosse anunciado em Assembleia...
"- Podem não ser inimigos, mas podem ser capturados, torturados, terem sua mente invadida. Já vimos isso acontecer... - "pobre Sussurros da Noite. Pelo menos descansa em paz..." - mas você está certa, vou falar com Degan - sussurra de volta para Helenna.

Antes que ela precisasse procurar o Wendigo, ele mesmo parece ter observado sua aflição e vêm lhe dizer algumas palavras para tentar tranquilizá-la. Duvidava porém, que Temido como Vulcões estivesse tentando protege-la. Estava apenas querendo esfregar as desgraças da Tribo dela sem se atentar, ou se importar, com o perigo daquilo que estava usando. Tinha certeza que o Fenris devia odiá-la e por mais que ela quisesse superar o primeiro mal estar entre ambos, ele parecia querer o contrário.  
"Cúl tóna cruthanta é!*"

Porém, sussurra de volta ao seu Philodox, mais contida que antes.
"- Talvez... vamos conversar sobre isso mais tarde. 

Nota o olhar de Igor para si, depois do olhar do Boitatá sobre ambos, e retribui discretamente o sorriso. Em breve, quem sabe descobririam o que o ohar do Totem significava. Não conseguia pensar em nada que ela e os outros três tinham em comum.

Assiste à primeira e rápida luta, sem torcer para nenhum deles, mas impressionando-se com a potência de seus golpes. Dá um sorriso quando Helenna faz referência a Mãe da Fúria. Torcia para sua amiga esmagar a cara do Fenris, e de todos os que ela enfrentasse no torneio.

Aedo Campeão também tinha a sua torcida, mas pegava um adversário ingrato. A Fianna queria demonstrar seu apoio a ele, mas não era prudente manifestar preferência pelo adversário do líder da Seita. Solidariza-se com a situação dele, alvo do desprezo da Seita, o que ele parecia estar acostumado.
"Ganhe essa luta e cale a boca de todos eles, meu amigo."
Vibrou internamente com as esquivas excelentes e os golpes certeiros do Filho de Gaia, mas para sua frustração, o juiz dava a vitória para o Senhor das Sombras.   
"Previsível... mas de fato Yanni se machucou mais."

Procura Mãe da Fúria para lhe desejar boa sorte com o olhar enquanto os próximos combatentes se posicionavam.



*OFF: Cúl tóna cruthanta é: Algo como "o maior dos cuzões" em irlandês gaélico
avatar
Grace Tavares Conney

Mensagens : 484
Data de inscrição : 26/06/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Clareira Central

Mensagem por sussuros-da-weaver em Sab Abr 07, 2018 9:59 pm

Sussurros-da-Weaver assistia ao desenrolar das batalhas e seguia analisando as taticas e de como a lutas se desenrolavam quando avistou seu adversário e com surpresa pensou: esse cara tem mais em comum comigo do.que toda essa gente junta. E suspirou aliviado por não enxergar do outro lado da arena uma pilha de.musculos cheia de furia, e sim um cara normal como ele.
Se preparando para entrar em cena,joão sorri  e vai de encontro ao seu adversário com a mão estendida , e ainda sorrindo diz:
"- prazer mestre-dos-magos! Eu sei que ninguem espera uma grande luta de mim,mas pelo menos vão ver tenacidade na nossa demonstração "belica"" em tom amistoso e com brincadeita na voz

OFf: doa 1 ponto de gnose pro totem
avatar
sussuros-da-weaver

Mensagens : 47
Data de inscrição : 23/03/2018
Localização : Rio de janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mestre-dos-Magos x Sussurros-da-Weaver [1º Turno]

Mensagem por NarraDiva em Sab Abr 07, 2018 10:23 pm

Mestre-dos-Magos cumprimenta o seu irmão de tribo e de augúrio com tranquilidade. O Filho da Barata fala com seu irmão:

'- Prazer, Sussurros-da-Weaver... precisamos tomar uma cerveja depois de uma apresentação para demonstramos nossas imensas capacidades combativas em frente à toda Seita.'

Pierre não esperava que seu oponente fosse um grande lutador, e ele também não era, mas sabia que tanto ele quanto seu adversário dariam o melhor. O Juiz chama os dois jovens, explica detalhadamente as regras do Desafio e ordena que ambos assumam suas posições, autorizando que o combate se iniciasse.

O combate começa com o avançar de Mestre-dos-Magos com suas garras, tentando acertar o Andarilho que era seu oponente.

Like a Star @ heaven Iniciativa da Rodada: Mestre-dos-Magos 16 x 13 Sussurros-da-Weaver

Like a Star @ heaven Sussurros-da-Weaver tem um ataque de 1 sucesso vindo em sua direção.

Like a Star @ heaven Mestre-dos-Magos move-se em Fúria.


REGRAS DO DESAFIO


1) Todos começarão os combates na forma Crinos
2) Os vencedores receberão um amuleto que cura 4 níveis de dano ao fim de cada combate.
3) Não será permitido o uso de qualquer Fetiche ou arma e ninguém poderá começar com nenhum dom ativado.
4) O Juiz irá interromper o combate quando alguém atingir a nível de dano ESPANCADO.
5) Um participante pode desistir do torneio apenas depois que pelo menos uma gota de sangue for derramada.
6) Empate desclassifica os dois. Empate na final fará com que o título seja decidido na sorte.
7) Casos omissos serão decididos pelo Juiz do Desafio seguindo a essência das regras anteriores do torneio em si para balizar sua decisão.
avatar
NarraDiva
Admin

Mensagens : 3219
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 34
Localização : Моско́вский Кремль

Ver perfil do usuário http://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Clareira Central

Mensagem por sussuros-da-weaver em Sab Abr 07, 2018 11:10 pm

Sussurros-da-weaver encara seu adversário,enquanto o observava atentamente, aparentemente os lua nova estavam decidos a demonstrar que seu augurio tambem tinha um lugar na mesa da gloria e da honra em combate ,e não iriam fazer feio frente ao totem, a seita e as suas matilhas.
Os dois andarilhos usam sua furia como combustivel para esse combate, mas a usam de forma diferente: enquanto mestre-dos-magos se impulsiona para frente em direção de sussuros-da-weaver,o mesmo usa sua velocidade para sair do caminho conseguindo fugir do golpe , e com sua velocidade recem adquirida desferir um golpe certeiro no outro ragabash que cai desacordado.
Empolgado pelo sucesso em combate ,sussuros-da weaver uiva uma celebração da sua Vitória,mas apenas por um instante,pois estava preocupado com seu adversário.João não tinha levado em conta a força que o seu totem de matilha lhe conferia e temia que o golpe fosse forte demais.
Preocupado João pensava: *por favor,esteja vivo!* e vai até o corpo desarcordado de mestre-dos-magos e o vê respirando,quando o alivio bate em seu peito.
Agora mais aliviado ,joão apoia seu adversário no ombro quanfo tenta desatordoa-lo:"-bora cara, a gente ainda tem que beber aquela cerveja!" Ja com um sorriso no rosto sabia:tinha feito um amigo naquela seita.
avatar
sussuros-da-weaver

Mensagens : 47
Data de inscrição : 23/03/2018
Localização : Rio de janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Réquiem - Sangue Forte de Luna - Todos na Assembleia

Mensagem por Angelique T. Albrecht em Sab Abr 07, 2018 11:36 pm

Forma Atual: Crinos

E então a serpente em chamas com diversos olhos aparece depois da invocação de Fênix de Prata. O totem era algo que a garou não poderia imaginar, mas que a fascinava enormemente. Era um espírito inusitado na sua visão, mas que ela encarava sem nem piscar. Quando o olhar do espírito passa por ela, um frio na espinha a atinge. Mas alguns garous eram presenteados por um olhar mais demorado, como se o espírito quisesse dizer alguma coisa com isso. Dos quatro garous observados, ela conhecia somente dois. O Alfa da Olhos da Tempestade e o mestre de rituais da Sangue Forte de Luna. Mas não se apega tanto aquilo, afinal o olhar do espírito poderia ser mil coisas diferentes.

A Impura segue até a fogueira e doa gnose, seguindo o rito e em honra ao totem. Não demora e os desafios são anunciados e começam. A primeira luta era um Cria contra um Andarilho do Asfalto. Angelique tinha certeza da vitória do Cria sem nem antes vê-lo adentrar o campo de desfio. Mas o Andarilho a surpreende com um golpe que transforma uma árvore próxima em cinzas. Se tivesse atingido o Cria era certo que ele estaria em más condições. No fim o Cria vence com um único golpe, com isso ela se lembra de Cólera de Balder treinando Sombra da Coruja nas Grutas e Cavernas. Os Crias pareciam seguir a premissa de acabar o combate rapidamente e dar tudo de si logo de primeira. Deste embate ela apenas reforça o que aprendera com seu tutor, nunca menospreze seu adversário. 

A segunda luta se inicia. Ela se impressiona que Garras do trovão também participaria dos desafios. Seria uma ótima oportunidade de observar garous mais experientes em um embate para ver como funciona. Vaias e insultos surgem por todo lugar e Angelique fica confusa com aquilo. Esperava sinceramente que nenhum membro de sua matilha fizesse aquilo, pois aquela atitude lhe era desrespeitosa. Se perguntava o que Orgulho renascido tinha feito para receber aquele tipo de ofensa. A batalha entre o Filho de Gaia e o Senhor das Sombras é impressionante. Era possível perceber que o mínimo erro levaria à derrota qualquer um dos dois. Esquivas eram feitas nos últimos segundos pelas duas partes e a emoção da batalha começa a encher o coração da Presa de Prata. Apesar de todos estarem torcendo pelo líder do Caern, Angelique não ouvia os brados, estava entretida demais com a luta. Até que ela cessa pelo juiz, dando a vitória para Garras do Trovão. O Filho de Gaia tinha lutado muito bem.

A próxima luta era entre dois irmãos de tribo e um deles era Sussurros da Weaver. Angelique olha para o membro de sua matilha e tenta lhe passar confiança com o olhar. Esperava que o Filho da Barata lutasse com honra e trouxesse glória não somente a ele, mas também para a Sangue Forte de Luna.

E Sussurros da Weaver vence o combate tão rapidamente quanto o Cria tinha vencido o Andarilho. Angelique fica feliz com a vitória do irmão de sua matilha e uiva, celebrando a vitória do ragabash. Aguardava que ele retornasse para junto de seus irmãos para congratulá-lo devidamente.


OFF: Doado 1 de gnose temporária para o totem.
avatar
Angelique T. Albrecht

Mensagens : 357
Data de inscrição : 25/06/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

ASSEMBLEIA PARTE VII - Torneios

Mensagem por NarraDiva em Dom Abr 08, 2018 12:11 am

'- Caralho véi... que pencada... mão pesada heim...' - diz rindo o Ragabash ferido. Mesmo sem ter sido ferido, Sussurros-da-Weaver recebe do Mestre do Desafio um amuleto de cura (capaz de curar 4 níveis de dano). Mestre-dos-Magos comenta sobre a cerveja:

'- Sim... vamo toma essa cerveja que é melhor do que sair no tapa...' - diz rindo e se encaminhando com João para fora do centro da clareira. Os Andarilhos uivam em honra aos dois, parte da Seita os acompanha. A Mestre de Cerimônias assume seu posto:

'- O torneio da vez é o dos Galliards Adrens e sua primeira batalha reunirá de um lado o líder dos Roedores de Ossos, o Galliard Uivo-Voraz...' - os Roedores, e só eles, uivam - e 'Aedo-Campeão, Galliard dos Filhos de Gaia'.

As mesmas vaias para Orgulho-Renascido voltavam a se fazer presentes. Os dois se posicionam em seus lugares e assim que o sinal para o começo do combate é dado, Uivo-Voraz já salta tentando acertar o Filho de Gaia com um golpe que é aparado pelo Galliard. O Roedor cai enquanto o Filho de Gaia, que parecia hesitar no combate, recua. Uivo voraz sorri o doce sorriso do Predador. Tinha certeza que venceria ali. Em Fúria avança para acertar mais dois golpes no Galliard que apara novamente os dois Golpes mas, numa brecha marota, o Roedor desfere uma cabeçada no Filho de Gaia que dá dois passos para atrás, toca o ferimento na sua cabeça e o mesmo é totalmente curado.

'- Isso vale?' - Berra irritado o Roedor. 

O Juiz apenas ignora.

O Lua Gibosa filho do Rato não desiste, ele se joga em cima do Galliard e com ele começa a rolar no chão. Nesse rola-rola pela clareira, Aedo-Campeão acaba ficando em cima e, começa a desferir socos na cara do Roedor, que não saía da "prisão" montada pelo Galliard contra ele. Os socos vinham após o grito de seu marido que, praticamente sozinho com sua tribo gritava "lute" para o Galliard. Mesmo sem gostar, ele lutava, mas usava o soco e não as garras para ser menos letal. Praticamente imobilizado, o Roedor de Ossos pega um pouco de areia e arremessa na vista do Filho de Gaia. As mãos no rosto são um ato instintivo e, durante esse ato, com Fúria o Roedor de Ossos arremessa o Filho de Gaia longe. Flor-de-Gaia imediatamente vai cuidar do ferido e Orgulho-Renascido segue ao lado da mesma. O Presas de Prata que mediou o desafio, olha para o Roedor e diz:

'- Desonrado, mas eu não havia proibido ainda. És o vencedor.'

Rindo à toa, Uivo-Voraz volta para seu lugar, o Juiz avisa:

'- Trapaças não serão aceitas. Manobras como essa de Uivo-Voraz, se repetidas, irão gerar desclassificação. Lutem com Honra.'

O Mestre do Desafio, então, chama:

'- Mira-Certa, Adren Impura Galliard dos Andarilhos do Asfalto irá disputar uma vaga na próxima fase contra Voz-de-Gaia, Galliard Hominídea Adren dos Uktenas.'

A Uktena olha para o Juiz e pergunta:

'- Dons entram no critério de trapaça?'

O Juiz respira fundo e fala:

'- O uso de dons não configura trapaça, o viés da trapaça está na ação enganosa de atirar areia na vista de um irmão.'

A Galliard:

'- Ok.'

A Impura tinha um porte físico bem maior do que a Uktena que demonstrava absoluta serenidade. As regras são repassadas e eis que o desafio começa e ninguém enxerga mais nada. Em pouco tempo, a vista de todos volta e a Uktena já tem desmaiado com a boca ensanguentada, sua adversária. Nitidamente constrangido, o Juiz anuncia a vitória de Voz-de-Gaia e os Uktenas e Wendigos puxam uivo em glória à vencedora.
avatar
NarraDiva
Admin

Mensagens : 3219
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 34
Localização : Моско́вский Кремль

Ver perfil do usuário http://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

GRITO-DA-GUERRA EM CRINOS / FORTALEZA DE GAIA / TODOS-

Mensagem por Ronaldo em Dom Abr 08, 2018 12:44 am

O Galliard acompanha os dois senhores das sombras e vê que Kiba se afasta e parece se tornar uma peça à parte do ínicio do ritual, poucos distantes depois através do seu pouco conhecimento em rituais, Ronaldo nota que Asa-Renegada não participara efetivamente, deixando tudo a cargo dos dois senhores das sombras.

"Ahroun, o que aconteceu? Espero que esteja bem em seus pensamentos..."

Ronaldo olhava distante seu irmão de matilha, não entendia bem o porque que o mesmo não participara mas deveria ter alguma explicação plausível e não cabia a Ronaldo pensar sobre tais atitudes.

Mantendo se firme aos propósitos da assembléia e seus ritos, o Fianna uiva quando se era pertinente e se mantém participativo dentro da solenidade e programação. Logo são apresentadas a alta cúpula do Caern e endossados por seus discursos próprios, Ronaldo acompanhava tudo com atenção e estava se sentindo bem perante aos acontecimentos, uma sensação de participação, importância, relevância...

Logo são ecoadas as palavras sobre o caso da Impura, logo relembra da ex-companheira de matilha Grace:

"Imagino o que neguinho vai pensar quando souber sua identidade, tá meio ferrada... Agora é seguir em frente, que fardo do caralho..."



Assim o totem aparece, a grande serpente pairando em cada um dos garous e Ronaldo nota que ela evidencia por mais tempo certos membros, no seu íntimo não se importa muito, Ronaldo era criado na ideia de que se não fazia parte da vida dele, pouco lhe interessava, não iria afetar sua vida, assim, fecha os olhos e doa parte da sua gnose para o totem do caern em sinal de respeito assim que o espírito passa pela sua visão.

Assim começa logo o primeiro embate do Caern e Ronaldo fica estupefato pela eficácia Fenrir, realmente os caras eram bons no combate e tinham tudo para liderar as batalhas e vitórias. Logo depois veio o embate entre o líder do caern e o filhos de gaia, Ronaldo não tinha uma torcida até o momento, estava apenas curioso para ver manobras, técnicas de combate e o que os mais experientes poderiam demonstrar através de suas lutas.

Ronaldo não se junta ao coro das vaias, mas se junta aos uivos que bradavam a vitória, era necessário respeitar os vitoriosos e claro, os garous quando eram apresentados, mas ao seu ver não iria em si tomar partido sobre relacionamento dos outros, talvez o dia que estivesse sem essa merda de coroa e essa voz fina dos infernos, poderia formular uma opinião, no momento, não era preciso e nem passava pela sua mente.

Começava o embate entre cliaths Ragabash, "gente como a gente", pensava Ronaldo e dava um leve sorriso atrás de sua mandíbula de crinos, iria ver algo mais em "casa", familiar e menos overpower apelões...

Assim Ronaldo ficava atento aos embates, preferia não pensar em uma estratégia, iria entrar para vencer, mas pelo esporte em si, "Quem sabe faz ao vivo", pensava o Galliard que iria lutar no instinto de lutas, sem pensar em manobras ou estratégias.



OFF: Doa 1 Pto de Gnose temporária.
avatar
Ronaldo

Mensagens : 154
Data de inscrição : 18/12/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Grace(Crinos) - Todos

Mensagem por Grace Tavares Conney em Dom Abr 08, 2018 1:21 am

Grace observa a disputa entre os dois Andarilhos Ragabash que, ao contrário de todas até então, era amistosa, e marcada por comentários bem humorados entre os dois contedores. Isso agrada a Galliard que uiva ao final da breve luta. 

O início do torneio entre seus irmãos de Augúrio de maior posto a deixa bastante atenta, curiosa pelas habilidades que eles iriam mostrar. Gostava de Orgulho Renascido e, em meio as odiosas vaias que ele recebe, busca dirigir-lhe um olhar de incentivo. Uivo Voraz não era alguém com quem havia conversado, mas sabia quem ele era e ele devia saber dela também. Kiba havia sido um amigo em comum de ambos. Apesar de não aprovar a maneira inconsequente como ele havia conduzido a Cerimônia dos Falecidos, agitando a Fúria dos presentes, não o queria mal. 

O Roeador avançava com sede pelo o combate, mas o Filho de Gaia consegue contornar todos os golpes. Quando Aedo Campeão fica por cima, socando Uivo Voraz, Grace sente em seu íntimo a alegria vibrante de que um dos seus favoritos iria vencer. Mas com um golpe sujo, o outro reverte a vantagem e vence o combate.
"Se Aedo Campeão tivesse usado as garras, teria terminado mais rápido e vencido... Uivo Voraz não mereceu o cuidado que o Filho de Gaia teve com ele."

O Mestre do Desafio faz então o aviso com atraso. Não deveria ter esperado que algum combatente apelasse daquele jeito. O próximo combate é anunciado e a nova regra parece gerar uma dúvida que a princípio, parecia ter uma resposta óbvia, até ver o que a outra Galliard havia feito. Ou melhor, não ver, já que ela tinha utilizado algum dom misterioso que os impedira de enxergar. 
"Será que ela ensinaria esse Dom um dia?"
Duvidava disso, mas uiva respeitosamente à vencedora que havia a impressionado.
avatar
Grace Tavares Conney

Mensagens : 484
Data de inscrição : 26/06/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Pantaneiro (crinos) - Assembleia

Mensagem por Yorick MacAlister em Dom Abr 08, 2018 3:04 am

A próxima luta era de Garras-do-Trovão e Orgulho-Renascido... e que luta. Pantaneiro por vezes chega a ficar sem fôlego. Sangue voava e golpes bem dados era efetuados. Definitivamente eram dois exímios guerreiros que sabia quando e como atacar. Até que David levou a melhor. Toda Seita uivava. Por muito pouco o líder do Caern saiu vitorioso. Por final, a próxima categoria era dos Ragabashs onde Sombra-da-Coruja, um recém-chegado, junto com mais dois recém-chegados, disputariam.

Pantaneiro se limita a olhar os lua nova. Provocações são feitas e na mesma velocidade que começa, termina.

"Essa foi rápida..."

Apenas um golpe e Sussurros-da-Weaver derrota seu oponente. Havia sido um bom golpe. E depois a vez dos Galliards Adren. Uma batalha que prometia sucesso entre Uivo-Voraz e Aedo-Campeão. Vaias são dadas para Aedo-Campeão. As vaias pelo fato de serem homosexuais se fazem presente. Pantaneiro se limita a observar. Ali, só avaliava quem era o melhor Guerreiro.

"Tomara que essa demora mais um pouco..."

E quando começa, depois de alguns movimentos, uma cabeçada é dada por parte de Uivo-Voraz e quando o Filho de Gaia se cura, existe um desentendimento. A dúvida era se valia ou não. Apesar de valer, honestamente, aquilo não fazia muito sentido. E daí realmente foi um show. Era uma grande quantidade de socos e quando parecia bom, Uivo-Voraz taca terra no olho de do filho de Gaia e ganha.

"Por Gaia, que jeito mais feio de se ganhar uma luta..."

Por final, com esclarecimento das regras, a próxima luta da Uktena deixa Pantaneiro estarrecido. Foi rápida e muito eficiente. Com alguns segundos, tampou a visão de todo mundo e acabou a luta. Seu adversário apareceu ensanguentado no chão e aquilo era no mínimo curioso, para não falar pavaroso.

"Eita caralho... Que dom foi esse..."

Pantaneiro ia assistindo e se surpreendendo cada vez mais.
avatar
Yorick MacAlister

Mensagens : 633
Data de inscrição : 28/06/2017
Idade : 28

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Sangue-dos-Quatro-Ventos (crinos) - Guardiões, Demais

Mensagem por Deganawida "Degan" Oneida em Dom Abr 08, 2018 6:10 am

Degan permanece em silêncio e só assente com a cabeça com a resposta de Grace. O Oneida continua assistindo às lutas. O sangue iria alimentar o Boitata naquela noite, além do que era uma boa chance para ver Fúria-das-Tempestades em ação. 

Ver alguém da Trilha da Batalha lutar com toda força é algo raro mesmo em nossas terras... Imagino que Okwanada não vai se segurar, ainda mais em se tratando de estrangeiros da Wyrm...


As coisas vão ficando mais interessantes quando um dos charach dos Filhos de Gaia toma o centro para duelar com o novo líder da Seita. Degan não aprova as vaias e apenas meneia a cabeça em reprovação. Não que ele não reprovasse um casal de Garou, mas aquele evento era para o Boitatá, e aquele tipo de atitude e mau sentimento podia desagradar os Manitou. 

Os dois competidores demonstram grande técnica e habilidades, e mostram um belo espetáculo, que termina com uma vitória apertada para o Senhor das Sombras. Degan uiva e uiva novamente ainda mais alto quando anunciam a luta de seu tio depois.

Os duelos seguintes também são apertados. O Philodox franze o cenho em desaprovação quando vê o filho do rato arremessando areia nos olhos do outro charach.

Qual o problema desse povo em entender que os espíritos colhem aquilo que você lhes entrega? 


O Juiz dos Presas de Prata pelo menos corrige a postura dos competidores para os próximos combates. E então, chega a vez da Uktena lutar. Degan escuta a pergunta dela ao juiz e, instintivamente, sabe que alguma diabrura do Irmão Mais Velho estava a caminho. Ele respira fundo.

O que eles prepararam dessa vez?


Dito e feito: escuridão cerca a arena e o oponente de Voz-de-Gaia jaz no chão. Degan não esconde que está feliz pela vitória da Uktena e uiva alto em sua vitória.

" - O Irmão Mais Velho não luta o mesmo combate do Wendigo, mas com certeza é criativo..."


Comenta Degan logo em seguida.
avatar
Deganawida "Degan" Oneida

Mensagens : 389
Data de inscrição : 01/07/2017
Idade : 42

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Skullhead (Crinos) - Matilha Olhos da Tempestade | Todos

Mensagem por Skullhead em Dom Abr 08, 2018 10:41 am

A luta seguinte reúne o líder da Seita e um importante Ahroun dos Filhos de Gaia, que aparentemente ninguém gostava. O nome lhe faz lembrar que tratava apenas do Garou casado com outro homem, o que justificava o tamanho ódio que transparecia nas vaias. Skullhead não era simpatizante dos comportamentos daquele dois, mas via pouca necessidade em vaiá-lo naquela situação. Prefere apenas se atentar para a disputa, que demora muito mais que a última. Orgulho-Renascido é um oponente resistente para o Senhor das Sombras, mas David consegue vencê-lo mesmo depois de quase ter sido derrotado com um golpe certeiro. O resultado era proveitoso, visto que talvez não fosse muito interessante que o líder de Seita perdesse logo na primeira luta; seria meio vexatório. O caveira se une ao uivo de apreciação da vitória do Alpha da Seita.

A próxima luta era de irmãos tribais de Camilo, um deles ainda desconhecido, provavelmente um recém-chegado. Mestre-dos-Magos era um irmão destacado da Tribo, mas não oferece muita dificuldade para seu oponente, que o derruba em um só golpe. O Theurge se une ao uivo de seus irmãos tribais, já se preparando para ver a luta dos Galliards. Desta vez, quem lutaria era o 'marido' de Orgulho-Renascido que também é vaiado. Ele parecia meio hesitante em lutar.

*Que porra é essa? Ele tá realmente fazendo isso? Que ridículo!*

O filho do unicórnio estocava os golpes do Roedor de Ossos e, quando consegue ficar por cima, desfere apenas socos! Pra que diabos ele tinha garras? O Andarilho não sabia. No fim, o Roedor consegue se desvencilhar de maneira desonrada e vencer a disputa. 

*O idiota foi ser fraco, deu nisso...*

A próxima luta era de Mira-Certa com uma Uktena. A Uktena usa da escuridão para vencer a disputa facilmente. O lua crescente apenas aplaude a disputa; seus irmãos tribais não estavam tendo sorte.
avatar
Skullhead

Mensagens : 510
Data de inscrição : 02/07/2017
Idade : 23
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Black-Hat | Fúria-Justa-de-Esteno - Guardiões da Canção Ancestral

Mensagem por NarraDiva em Dom Abr 08, 2018 10:52 am

'- Me surpreendi com ela usar um truque desse nível já na primeira luta.' - comenta Helenna em resposta a comentário de Degan. A Fúria Negra comenta com Grace em seguida:

'- Você lutará com um irmão de tribo e augúrio pelo que apurei. Dê tudo de si, ataque, ataque e ataque. Não dê tempo dele reagir aos seus golpes. Até pela sua segurança, quanto mais rápido derrubá-lo, mais seguro para ti.'
avatar
NarraDiva
Admin

Mensagens : 3219
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 34
Localização : Моско́вский Кремль

Ver perfil do usuário http://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Fortaleza de Gaia

Mensagem por Antonio Xavier em Dom Abr 08, 2018 10:56 am

Antonio Xavier fica completamente hipnotizado pelas lutas que aconteciam. Esquecia tudo que estava ao seu redor.

Ficou surpreso com a participação de Garras-do-trovão, mas pensou:

"O verdadeiro líder deve dar o exemplo! Ganhou ainda mais meu respeito e admiração."

O Portador da luz não ficou satisfeito com o comportamento dos companheiros frente aos Filhos de Gaia que participavam das batalhas.

"Isso vai contra o que discursou Garras-do-trovão na abertura da Assembléia. Espero que o tempo modifique isso."

Mas o que realmente decepcionou Antonio Xavier foi a atitude anti-ética do Roedor.

"Não foi justo, mas, infelizmente, a lei é assim nem sempre é realmente justa"

Sereno-trovão fica assustado com o dom do Uktena e pensa que espera que sua matilha vença as batalhas que ocorrerão em breve.
avatar
Antonio Xavier

Mensagens : 185
Data de inscrição : 24/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

ASSEMBLEIA PARTE VII - Juramentos Tribais de Lealdade

Mensagem por NarraDiva em Dom Abr 08, 2018 11:24 am

Após a primeira rodada de duelos, a Mestre de Cerimônias segue conduzindo a Assembleia com maestria. Júbilo-das-Górgonas não tinha a mais bela voz do Caern, mas seu tom era agradável e ela conseguia atrair para si a atenção de todos enquanto narrrava:

'- Chamo, ao centro da clareira, para prestar o juramento de lealdade tribal ao novo líder do Caern, Bit-Coins, líder dos Andarilhos do Asfalto.'

Bit-Coins estava junto aos membros do Alto Conselho e caminha para o centro. O Líder do Caern igualmente se posiciona. A reverência dessa vez não é mostrar a jugular como presa para o líder. O Andarilho faz o mesmo gesto de ajoelhar mas estende uma caixa preta, parecia com uma caixa de Jóias, para o Ahroun, dizendo:

'- Os filhos da Barata juram lealdade à Garras-do-Trovão e à Seita da Coroa de Fogo. Aceite este presente como símbolo de nossa amizade e lealdade.'

O Senhor das Sombras pega a caixa e abre, era um relógio todo dourado que ele expõe para que todos da Seita vejam e diz:

'- A Seita da Coroa de Fogo agradece a lealdade dos Filhos da Barata.'

Os Andarilhos do Asfalto uivam em honra ao líder e ao pacto firmado. Bit-Coins se levanta, aperta com firmeza a mão do Alfa do Caern e lhe dá um sincero abraço, voltando para seu lugar. David permanece onde estava, enquanto um filhote ajudante guardava o relógio. A Mestre de Cerimônias diz:

'- Convoco o líder dos Crias de Fenris, Temido-como-Vulcões a prestar o juramento de lealdade da Tribo.'

Temido-Como-Vulcões era o líder dos Fenris e provavelmente o mais temido e respeitado Garou da Seita. Ele caminha até o líder rasgando sua pata com as garras da outra mão e, com o sangue caindo no chão, diz, ajoelhado:

'- Os Crias de Fenris juram lealdade, honra e glória à essa Seita e seu líder. Aceite meu sangue como símbolo de nossa lealdade.'

O Senhor das Sombras imediatamente diz:

'- A Seita da Coroa de Fogo agradece a lealdade dos Filhos de Fenris.'

Os Fenris uivam a plenos pulmões enquanto Temido-Como-Vulcões se levanta e aperta com firmeza a mão do líder do Caern. O juiz encara David nos olhos e após alguns segundos de tensão, dá um amistoso abraço no líder, dizendo:

'- Eu confio em ti, Garras-do-Trovão. Não me decepcione.'

O Fenris segue para seu lugar. O Líder do Caern mantinha-se em seu lugar, agora com a pata suja do sangue do Fenris. Júbilo-das-Górgonas faz o terceiro chamado:

'- Chamo Bardo-Forjador, líder dos Fiannas, a prestar seu juramento.'

Bardo-Forjador seguia e a tensão era nítida na Clareira Central. Os Fiannas eram a tribo mais observada da Seita naquele momento, tendo mais olhos de desconfiança até que os Senhores das Sombras. Bardo-Forjador se ajoelha e estendendo uma garrafa de hidromel para o líder do Caern, diz:

'- Os Fiannas são fiéis às leis e tradições de nosso povo e juram lealdade a esta seita e à liderança estabelecida. Aceite essa bebida como demonstração de lealdade da tribo Fianna, novo líder.'

O Senhor das Sombras pega a bebida, a qual o Filhote que ajudava vai logo guardar junto do relógio e fala:

'- A Seita da Coroa de Fogo agradece a lealdade dos Filhos do Cervo.'

Bardo-Forjador se levanta, aperta as mãos de David e segue para seu lugar. Os Fiannas uivam, mas sem muita força, em honra ao pacto. A Galliard que conduzia a cerimônia chama a quarta tribo para prestar seu julgamento:

'- Flor-de-Gaia, líder dos Filhos de Gaia, venha prestar seu juramento.'

Na mesma posição que os antecessores, de joelhos, estendendo uma rosa para David, a Filho de Gaia diz:

'- Em nome da paz e da união, os Filhos de Gaia juram lealdade à ti e à esta seita. Aceite esta rosa como símbolo da nossa lealdade à ti, Garras-do-Trovão.'

O Senhor das Sombras sorri, pega a rosa e entrega para o filhote guardar, ajudando a Filho de Gaia a se levantar enquanto fala:

'- A Seita da Coroa de Fogo agradece a lealdade dos Filhos do Unicórnio.'

Um fraterno abraço sela a lealdade enquanto os Filhos de Gaia uivam em honra à líder que retorna ao seu lugar, próxima a Aedo-Campeão e Orgulho-Renascido. Ela já havia curado a dupla.
avatar
NarraDiva
Admin

Mensagens : 3219
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 34
Localização : Моско́вский Кремль

Ver perfil do usuário http://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Skullhead (Crinos) - Matilha Olhos da Tempestade | Todos

Mensagem por Skullhead em Dom Abr 08, 2018 11:34 am

Antes da próximas lutas continuarem, a Mestre de Cerimônias inicia o rito do juramento das Tribos. A primeira a jurar era a Tribo dos Andarilhos do Asfalto, representados pelo Porta voz da Seita. Bit-coins presenteia o líder com um belíssimo relógio, jurando sua fidelidade. Camilo uiva com os seus em sinal de respeito ao acordo firmado. Mais uma vez, a Barata permanecia resiliente, apesar do ódio que muitas Tribos possuíam.

Os Cria, Fiannas e Filhos de Gaia também juram lealdade, representadas por seus líderes tribais. Temido-como-Vulcões presenteia o líder com seu próprio sangue, nada diferente do que um Cria de Fenrir faria; Bardo-Fojador oferecia sua melhor bebida; enquanto Flor-de-Gaia agraciava-o com uma rosa.

Ainda faltavam muitas Tribos até que as lutas reiniciassem. Skullhead estava achando interessante ver o poder de fogo que a Seita possuia.
avatar
Skullhead

Mensagens : 510
Data de inscrição : 02/07/2017
Idade : 23
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Clareira Central

Mensagem por Sussurros Solitários em Dom Abr 08, 2018 11:45 am

Forma atual: Crinos

O Torneio continua e várias batalhas impressionantes acontecem. A primeira que envolve de fato o Uktena é a de Garras-do-Trovão com um Filho de Gaia e o lobo urra em torcida ao líder do Caern. A batalha demora um pouco mais do que o lobo imaginava pelas lendárias capacidades do filho de Margrave, mas no final ele sai vencedor como esperado e o lobo uiva em comemoração. 

A próxima batalha a realmente chamar a atenção do Uktena é a da Galliard de sua tribo, Voz-de-Gaia contra uma Filha da Barata. Sasha brilhantemente usa um dom dos Uktena e cuida da impura de forma rápido e o lobo uiva em comemoração a sua vitória.

Depois disso a cerimônia segue e começam os juramentos de lealdade dos líderes tribais e lobo toma notal mental dos presentes oferecidos ao líder da seita, pois estes eram indicativos dos chiminages que aqueles líderes tribais consideram apropriados.
avatar
Sussurros Solitários

Mensagens : 584
Data de inscrição : 04/07/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Clareira Central

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 37 de 40 Anterior  1 ... 20 ... 36, 37, 38, 39, 40  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum