Clareira Central

Página 12 de 40 Anterior  1 ... 7 ... 11, 12, 13 ... 26 ... 40  Seguinte

Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Assembleia LXIII | Quebra-do-Osso | Torneio Ragabash Adren | Final

Mensagem por NarraDiva em 25.05.18 8:41

Júbilo-das-Górgonas anuncia a final seguinte enquanto exibia um Fogo de Loki, que pertencia a uma das Senhores das Sombras Falecidas.

'- Para disputar a final dos Lua Nova Adren, convoco Duas-Caras, Senhores das Sombras da Filhos da Esperança e Sombra-de-Loki, Crias de Fenris da Caçadores de Malditos.'

Os dois haviam se conhecido melhor enquanto planejavam o julgamento e o Fenris não estava feliz com o Senhor das Sombras. Sombra-de-Loki havia eliminado o Roedor de Ossos Sem-Nome, enquanto Duas-Caras, com um truque, derrotara Spyware. Os dois tomam seus lugares e a batalha é autorizada a começar. O Fenris imediatamente cresce e fica maior, com raios percorrendo seu corpo e com um porte físico que parecia dobrar suas capacidades, mas isso não impressiona o Senhor das Sombras que apenas com um olhar impede que toda aquela pujança física seja usada para qualquer coisa.

Sombra-de-Loki tinha em suas feições o desespero de quem tenta mover e não consegue. O Senhor das Sombras não se importa. Depois de paralisar o Cria de Fenris avança até ele e sem nenhuma piedade lhe acerta por três vezes com as garras na barriga até o juiz separar os dois e decretar a vitória para o Filho de Avô Trovão. O Fenris vai murchando em sua potência física e parecia agora mais fraco do que antes. Ele pega o colar de premiação pelo vice-campeonato e volta para seu lugar. Duas-Caras, com o Fetiche que mantinha em sua tribo volta também. Os Senhores das Sombras e a matilha de Duas-Caras comemoram a vitória do Lua Nova.
NarraDiva
NarraDiva
Admin

Mensagens : 4789
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 36
Localização : Моско́вский Кремль

https://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Assembleia LXIV | Quebra-do-Osso | Torneio Ragabash Athro | Final

Mensagem por NarraDiva em 25.05.18 8:53

O prêmio para o Torneio Ragabash Athro era uma belíssima Adaga do Dente. Ela é exibida por Júbilo-das-Górgonas que fala, enquanto exibe o prêmio:

'- Encerrando os torneios Ragabash, convoco para disputar a final em honra ao Boitatá, o Presas de Prata da Defensores da Mãe, Mão-do-Rei e o Crias de Fenris da Aurora de Gaia, Orgulho-de-Heimdall.'

Os dois seguem ao centro, se cumprimentam e se postam para a batalha. Assim que a batalha é iniciada, Orgulho-de-Heimdall tal como seu predecessor Fenris dobra sua capacidade física e fica com um corpo avantajado. O Presas de Prata, no entanto, não se intimida com isso e simplesmente cria um clone perfeito de si. Mão-do-Rei, agora era dois. 

Orgulho-de-Heindall tenta avanças contra o Presas de Prata, mas enquanto atacava uma das cópias (que esquiva do golpe), via a outra passar as garras em seus tendões e lhe jogar no chão. Caído, o Fenris leva um chute na cara do Presas de Prata que o faz rolar para o lado. Orgulho-de-Heimdall tenta levantar mas uma das cópias do anão salta sobre suas costas e começa a desferir violentos golpe com as garras. O Fenris urra de dor, e no que urra, a cópia que não estava em cima de si faz surgir chamas em volta do rosto do Fenris que se debatia sem conseguir da situação na qual se encontrava. A luta parecia ganha mas o Fenris simplesmente se concentra e atravessa para a umbra, saindo um pouco mais afastado e bastante ferido. Com seu vigor avantajado novamente tenta acertar uma das cópias. As duas nunca se mantinham juntas e o ataque do tendão se repete e, igualmente, o Fenris cai. Só que dessa vez, após cair, ele leva dois golpes violentos com as garras em suas costas e o juiz interrompe a batalha. Os Presas de Prata uivam pela vitória do Lua Nova. Os Fenris amargam o segundo vice-campeonato seguido. Com as premiações recebidas, os dois voltam aos seus lugares. Mão-do-Rei volta a ser um só.
NarraDiva
NarraDiva
Admin

Mensagens : 4789
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 36
Localização : Моско́вский Кремль

https://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Convidado em 25.05.18 9:50

Sereno-trovão ouve a chamada de atenção que sua matilha recebe e pensa que já estava esperando isso acontecer, pois o grupo estava falando demais mesmo.

Uma nova final se inicia e o Portador lembra bem daquele ferrão de escorpião, pois o havia deixado bastante curioso com aquele dom.

"Será que o ferrão vence novamente?"

Enquanto pensava isso, o theurge se assusta com o tamanho das presas da Garra vermelha.

A luta começa com um ataque do ferrão, mas a Garra vermelha se esquiva e arranca o braço da oponente.

"Nossa!"

A vencedora sacrifica fetiche e amuleto.

"As mulheres estão sendo mesmo exemplos de honra"

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Flagelo-da-Wyrm - Assembléia

Mensagem por Convidado em 25.05.18 10:02

Crinos

As finais do torneio Ragabash continuam, dessa vez com os Forstern, uma luta entre Garras Vermelhas e Peregrinos Silenciosos e ambos apostam numa estratégia de apenas um golpe mas o Garou da Lobos Incansáveis se sai melhor, leva a vitória e sacrifica o fetiche ao Boitatá.

*O apetite de Totem parece insaciável.* - Lembrança do Fianna queimado vem em sua mente ele olha de relance para Reflexo-da-Lua mas espanta o pensamento quando a próxima luta é anunciada.

Os Adrens estavam a postos, um dos seus irmãos de Tribo estava lá e isso lhe atrai a atenção, Sombra-de-Loki aumenta seu tamanho exponencialmente mas é paralisado com apenas um olhar do Senhor das Sombras e assim é derrotado com facilidade.

*Soube usar bem o cérebro nos julgamentos mas não no combate.*


As finais dos Luas Nova chegam ao último combate com os Athro, mais um Fenrir luta, mais um Fenrir aumenta de tamanho e mais um Fenrir perde.

*Mão-do-Rei lutou de forma impressionante, é um Garou promissor, será que o preconceito vai ser deixado de lado e o respeito ao Impuro vai ser dado?* - Ele olha para Temido-Como-Vulcões - *Como vai ser a recepção dos Vice Campeões na reunião tribal?*

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Convidado em 25.05.18 10:34

Começa a luta entre os Rotagar Fostern, uma garras vermelhas e uma Peregrina.

"Vamos ver o que as duas têm a oferecer. Garras vermelhas são bestas assassinas em matéria de ferocidade."


Quando a luta tem sua conclusão Hagen pensa.

"Realmente não estava enganado, ainda sacrificou o fetiche e o amuleto...Exala fúria e intinsto primitivo..."


Hagen olha a sua volta.

"Não temos um lupino na matilha. Ao lidarmos em certas situações será que podemos ter problemas?"


Começam ali o que Hagen mais esperava, os Crias de Fenris disputando e o primeiro era sombra de Loki que usara o seu poder para ficar imenso e não conseguira nem atacar amargando o vice campeonato.

"O Senhor das Sombras é ardiloso, assim como Jörmungandr, não se faz de um ataque direto e usa suas artimanhas para vencer. É uma lição."


Hagen vê agora a luta entre Orgulho-de-Heimdall de Mão-do-Rei, inicialmente tem vontade de rir por um garou tão pequeno, deu como certa a vitória de seu irmão tribal, até que o uso de dons na luta é mostrado e a Mão-do-Rei vence.

"E mais uma vez a estratégia venceu a força bruta. Prevejo cobranças por partes da tribo e com certeza pegarão pesado com os cliaths..."


OFF:

Rotagar - Ragabash

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Sussurros Solitários em 25.05.18 11:59

Forma atual: Crinos

O Lupino fica chocado com o sermão dado pela Mestre de Cerimônias na Fortaleza de Gaia e imediatamente lança um olhar para a sua matilha. Era exatamente isso que estava tentado evitar todas as vezes que pediu silêncio aos macacos. 

O Uktena assiste aos combates finais do torneio Ragabash e urra pela vitória da Garra Vermelha e olha com aprovação seu sacrifício ao totem. 

Duas-Caras derrota Sombra-de-Loki com suas artimanhas e o lobo fica em silêncio, torcia pelo Fenris por conta de sua ajuda na missão do Zoológico. 

O Último combate entre Mão-do-Rei e Orgulho-de-Heimdall termina com vitória do Impuro e o lobo fica em silêncio. Também torcia para o Fenris e fica imaginando a opinião de Siegfried sobre essas lutas. 

O Lupino estava ansioso por sua luta, queria acabar logo com essa assembléia e se focar montanha de problemas que existia.
Sussurros Solitários
Sussurros Solitários

Mensagens : 847
Data de inscrição : 04/07/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Arauto-da-Morte em 25.05.18 12:59

Forma atual - Crinos

Seu retorno é marcado por tapinhas no ombro, o silêncio de Siegfried e mais uma oferta de bebida do fianna, a esta última, ele recusa silenciosamente com uma negativa de cabeça, porém, o rosto do Peregrino não transmitia nada, nem desdém, nem raiva, nem frustração, nada além de uma máscara de apatia.

Assiste o transcorrer das lutas em completo silêncio, uivando protocolarmente ao fim de cada uma delas.

Sua mente vagava em busca da compreensão de um único conceito que muito lhe escapava.

*Ma’at*
Arauto-da-Morte
Arauto-da-Morte

Mensagens : 547
Data de inscrição : 18/12/2017
Localização : Belem

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Assembleia LXV | Quebra do Osso | Homenagem à Tartaruga

Mensagem por NarraDiva em 25.05.18 13:19

Rugido-do-Tupilaq, Galliard dos Wendigos e Tempestade-Glacial, Theurge da mesma tribo, caminham ao centro da assembleia logo após o fim dos desafios Ragabashs. A Lua brilhava nos céus e o fogo do Boitatá parece se aquecer. Um grupo de Filhotes traz, em uma enorme bandeja de palha, um emaranhado de ervas e arbustos formavam uma enorme tartaruga. Havia uma beleza. Todo o colorido das flores e das folhas mostravam que havia, ali, um trabalho extremamente minucioso e enquanto a Theurge canalizava sua Gnose para despertar os espíritos daquele arranjo gigante, Rugido do Tupilaq pega um cachimbo grande, coloca algumas ervas dentro e dá uma baforada para o ar. A fumaça assume a forma de uma tartaruga e, ele passa o cachimbo para o líder da Seita, que dá uma tragada e joga a fumaça por ar e, ela também sai com o formato de uma tartaruga. E assim o cachimbo vai percorrendo toda a assembeia com efeito igual.

O Galliard, então, com uma viola de três cordas, começa a produzir um som hipnotizante que parecia transportar aqueles Garous no tempo. A mata parecia mais viva, o Caern parecia diferente e aquelas plantas pareciam vivas e em movimento. Todos sentem sua percepção ampliada (+2 até o fim da homenagem) e ouvem a narrativa de uma história linda. A história que fala de três povos que habitavam uma terra pura. O irmão mais novo, guerreiro; o mais velho guardião da sabedoria e o do meio, o elo que ligava todo aquele povo. A história é dura com as tribos, culpa os estrangeiros pela chegada da Wyrm, faz com que os Garous assistam em sua imaginação a queda de Caern tomados pelas tribos que estavam ali. Fiannas, Fenris, Senhores das Sombras e Presas de Prata. As quatro tribos enxergam, levados pelo rito, seus antepassados tomando Caerns dos povos puros e enxergam a Wyrm crescendo a cada Caern tomado.

E, então, a história chega a Roanoke.

'- Quando a Wyrm se manifestou na colônia de Roanoke com a chegada dos europeus, não foi uma manifestação como as outras. Era uma Wyrm mais forte, mais poderosa, que se alastrava e destruía tudo ao seu redor. Uma Wyrm que corrompia a tudo, humanos, lobos, e garous. Uma Wyrm impiedosa que precisava ser parada. E coube a Tribo Croatan, essa tarefa. Os Filhos da Tartaruga se sacrificaram por nós. No entanto, seu sacrifício teve um duro golpe: a Devoradora-de-Almas devorou a alma da própria Tribo, encerrando qualquer chance de continuidade. A Tartaruga adormeceu. Sua ninhada definhou. A vitória teve gosto de derrota, mas ontem, nessa terra, vivemos um sopro de Esperança'

O cachimbo chega no último Garou e volta para o Wendigo que o leva à Theurge que bafora sobre as plantas que começam a brilhar mais forte:

'- A Tartaruga veio em sacrifício ao nosso socorro. Trazida por uma tribo estrangeira como uma lição que ainda precisamos entender o real significado. Ela mais uma vez se sacrificou por nós e nós daremos nossas vidas, em seu legado, para que esse sacrifício não seja em vão.'

Os dois Wendigos rasgam o pulso e jogam sangue sobre as plantas. O líder do Caern e todo alto conselho fazem o mesmo. Diversos Garous tomam a mesma iniciativa. O enorme arranjo ganha vida e caminhando lentamente, olha para os Garous e fala, dirigindo seu olhar especificamente para Sangue-dos-Quatro-Ventos:

'- União, Honra e Esperança... Devoradora de Almas viver e Garous precisar derrotar. Proteger última Filha da Tartaruga e reviver a tribo seu destino ser.'

As plantas começam a se desfazer como a tribo Croatan tinha se desfeito. Elas evapram em pleno ar, se transformando em Gnose e tocando o coração de cada Garou ali presente.

Like a Star @ heaven  Todos recuperam 1 ponto de Gnose e 1 ponto de Força de Vontade (se houverem pontos gastos).
NarraDiva
NarraDiva
Admin

Mensagens : 4789
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 36
Localização : Моско́вский Кремль

https://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Cólera-de-Balder - Matilha Olhos da Tempestade

Mensagem por NarraDiva em 25.05.18 13:20

O Fenris mantinha-se em silêncio. Sequer olha para Sombra-da-Coruja quando ele volta e apenas rosna enfurecido com a derrota dos seus irmãos de tribo. Não estava feliz com os acontecimentos. Durante o rito, toma a iniciativa de ir ao centro e doa um pouco de seu sangue e sua Gnose à Tartaruga, apesar de parecer irritado com toda a narrativa que condenava sua tribo por atos passados.
NarraDiva
NarraDiva
Admin

Mensagens : 4789
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 36
Localização : Моско́вский Кремль

https://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Black-Hat | Fúria-Justa-de-Esteno - Guardiões da Canção Ancestral

Mensagem por NarraDiva em 25.05.18 13:21

A Andarilho e a Fúria Negra doam sangue e Gnose para o Ritual.
NarraDiva
NarraDiva
Admin

Mensagens : 4789
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 36
Localização : Моско́вский Кремль

https://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Mija-na-Wyrm | Flor-de-Lótus - Matilha Fortaleza de Gaia

Mensagem por NarraDiva em 25.05.18 13:21

Mija-na-Wyrm fica quieta em seu canto, Flor-de-Lótus doa Gnose e sangue ao rito em homenagem à Tartaruga.
NarraDiva
NarraDiva
Admin

Mensagens : 4789
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 36
Localização : Моско́вский Кремль

https://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Espólio-Cyberpunk | Sangue-Sobre-a-Neve - Matilha Sangue Forte de Luna

Mensagem por NarraDiva em 25.05.18 13:22

O Andarilho e a Garra Vermelha doam sangue e gnose ao ritual.
NarraDiva
NarraDiva
Admin

Mensagens : 4789
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 36
Localização : Моско́вский Кремль

https://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Convidado em 25.05.18 13:45

FORMA-CRINOS-

Uivo assiste as outras lutas sem comemorar.

Ao ver Sombra da Coruja calado e ignorando a sua oferta, da de ombros e pensa:

*Cara não sabe o que tá perdendo. Essa porra é boa pra nos fazer esquecer de nossos problemas nos recarregando para a próxima merda.*

Então começa o ritual, e ao ver Cólera de Balder indo ao centro o acompanha. E Repete o mesmo gesto, doa sangue e Gnose. Na verdade doa mais sangue que o necessário.

*Que meu sangue honre essa Terra, os Espíritos e esse local sagrado*

Então volta joga um pouco de Hidromel na ferida sente a ferida absorver um pouco e o que ele sentia e presenciava era muito real toda aquela cerimonia. E então pode sentir a presença de Gaia tocando-o e isso o reconfortava.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Ossos-de-Carvalho em 25.05.18 13:46

Ian assiste ao julgamento. Era muito triste o resultado dele, porém achava melhor do que a morte. Ela poderia continuar lutando conosco e recuperar sua honra perdida.

Quando Hadrian volta e começa a assistir as lutas, mostra com as mãos o estrago que Sieg tinha feito anteriormente, dá de ombros e fala:

"-Faz parte.."

Na sequência também doa seu sangue para a Tartaruga e faz questão de ficar em uma posição que o seu Alfa veja ele fazendo a doação para o espírito e se sente mais revigorado com isso.

* Desde que voltei, tô muito ligado ao mundo real.. Isso tá me afetando e eu tô fazendo merda.. preciso sair de novo dessa realidade.. E dessa vez, acho que os espíritos vão ser o caminho.. Tenho que aprender mais sobre eles *

Olha, discretamente, para o Alfa novamente. Tinha alguma coisa errada com aquele lobo, mas sabia que quanto o assunto era espíritos, Sussurros-Solitários mandava bem..

* Acho que vou pedir pra ele me ensinar algumas coisas depois... *
Ossos-de-Carvalho
Ossos-de-Carvalho

Mensagens : 306
Data de inscrição : 08/03/2018

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty CRINOS | SEITA | FORTALEZA DE GAIA

Mensagem por Convidado em 25.05.18 13:58

Hagen antes pensara no sacrifício dos Croatans, sabia dessa história, mas não sabia que a Tartaruga em si era ligada à essa tribo. Em homenagem ao sacrifício,  o Fenrir vai ao centro e doa seu sangue.

"Receba aqui o sangue de um filho do Grande Fenrir."


Hagen não mantém uma conclusão dessa história, acreditava na força de sua tribo e tinha orgulho da mesma e sabia de muitas histórias de Caerns fracos que foram tomados pelos Fenris, para serem mais efetivos contra à corruptora. O Modi preferia não condenar seus antepassados, estava sério e sem esboçar sentimentos pelo conto falando mal de atos dos garous nórdicos, mas em homenagem ao sacrifício, doara seu sangue também de forma solene e retorna para o lado de sua matilha.

"Não sou um Skald e pouco sei das histórias que meus antepassados construíram, suas ações certas e suas falhas, sei o trivial. Jörmungandr atua de diversas formas e essa maldita faz com que tribos, lendas e grandes espíritos se sacrifiquem. De uma coisa eu sei, se precisar dar a minha vida em combate para que sua garganta seja ceifada, assim o farei. Quero percorrer o caminho do guerreiro e chegar ao nosso ápice e que se for para morrer, que morra respirando o ar da glória, levando o maior número de malditos para o inferno, espero encontrar garous que pensem o mesmo. "

Hagen observa se alguns membros da sua matilha doariam sangue e assim fica observando o que o cercava. Pensa em devaneios rápidos e olha distante para o Wendigo citado.


"Se conseguíssemos resgatar os Bunnyip e Croatans... Se esta profecia estiver correta, gostaria muito de ver essa tribo se erguer e ajudar na batalha contra a Corruptora. Que Gaia conceda Sabedoria à esse Wendigo, Sangue-dos-Quatro-Ventos, se é seu destino reviver essa tribo, sua sina está marcada por honra... Gostaria de presenciar esta cena... "


Hagen olha a tartaruga se esvaindo e partindo.

"O que será que os místicos Godis tem em seus segredos? Croatans podem ser revividos de acordo com o que fora falado, será que Bunnyips também poderiam retornar, de alguma forma? Fico curioso com esses fatos, será que minhas irmãs sabem de algo? Sei que minha irmã Skald deve saber muitas escrituras e o que aconteceu nas nossas lutas contra irmãos e que as Godis devem ter muitas profecias. O Ragnarok começa aqui, será que elas sabem? Será que vão fazer algo?"

Hagen para por um momento, olha para sua matilha, para Boitatá e se mantém calado, sério e com as feições fechadas. Sente sua Força de vontade inflamar e respira fundo, vendo a necessidade de cada vez mais estar preparado contra a corruptora.

"Maldita! você irá pagar por cada maquinação sua!"
OFF:

MODI: AHROUn
SKALD - Galliards
Godi - Theurge
Jörmungandr - Wyrm

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Arauto-da-Morte em 25.05.18 14:09

Forma atual - Crinos

O peregrino escuta a história tentando, o máximo possível, afastar os pensamentos nefastos que atormentam sua mente.

O relato é rico e o transporta à uma época onde o apocalipse ainda era embrionário, diferente da realidade que viviam hoje.

Ainda sem conseguir despertar sua mente anestesiada, Hadrian, ainda que mecanicamente, se adianta à sombra de coleta de balder, e, utilizando-se de sua jambya, sangra em honra aqueles que caíram em prol de outros, e doa sua gnose à memória daqueles que foram e hão de ser novamente.

*Assim como os ancestrais* - um lampejo de fogo brota na mente do Ragabash.

OFF: Hadrian verteu um de dano agravado e doou um ponto de sua gnose temporária:
Arauto-da-Morte
Arauto-da-Morte

Mensagens : 547
Data de inscrição : 18/12/2017
Localização : Belem

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Sussurros Solitários em 25.05.18 15:29

Forma atual: Crinos

O Uktena assiste quase que em transe a cerimônia em homenagem a tartaruga participando de todo o ritual quando solicitado. Ouve com atenção e lança um olhar cúmplice a Degan quando o avatar do totem esquecido lhe revela mais um destino. O Lobo oferece seu sangue e sua energia espiritual em honra ao espírito enquanto faz uma prece na língua dos espíritos:


"- Que Gaia abençoe seu retorno e que o seu escudo nos proteja dos males da Wyrm mais uma vez. Obrigado por sua proteção."

OFF GAME: Doei o sangue e 1 ponto de gnose.
Sussurros Solitários
Sussurros Solitários

Mensagens : 847
Data de inscrição : 04/07/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Alek em 25.05.18 17:49

As lutas seguintes do torneio dos luas nova revelaram duas surpreendentes derrotas para os filhos do Fenrir. Mão-do-Rei trouxera mais um título para a Tribo, numa luta onde a estratégia dominou a força, e Igor uivou a plenos pulmões em hora à vitória do ragabash.

Com o fim de mais uma etapa dos combates, chegara a hora da homenagem à Tartaruga. Rugido-de-Tupilaq e sua viola levaram toda a seita a uma experiência mágica sobre a história dos Três Irmãos. Em sua mente, era conduzido pelo ritual a vivenciar a época sombria em que os caerns das Terras Puras eram assolados pelas crias da Wyrm. O Wendigo conduzia a narrativa de forma que mostrava os europeus que punham os pés no Novo Mundo como verdadeiros arautos da Wyrm, mas o Presas sabia que a versão verdadeira da história era bastante diferente. À medida que o lua minguante falava, Igor recontava a história para si mesmo.

As criaturas corruptas da Wyrm rastejavam sob a terra, ainda antes que os europeus chegassem, e consumiam tudo que tocavam. Os Puros eram extremamente zelosos sobre seu território, mas lhes faltava força na mesma medida em que lhes sobrava orgulho, e eles negaram a ajuda dos Presas de Prata para defender sua terra. Pouco a pouco, os lugares sagrados iam sendo profanados e, incapazes de assistir àquilo sem agir, os filhos do Falcão lideraram os Fianna, os Fenris e os Senhores das Sombras na defesa dos caerns. No entanto, o orgulho estúpido dos Puros acabou gerando uma guerra civil e, o inimigo, covarde como um chacal, apenas espreitava nas sombras esperando que o vencedor das disputas pela liderança dos caerns se apresentassem e, enfraquecidos, eles não tinham como resistir. A mácula do Wyrm ganhou força. Então, surgiu a manifestação da Devoradora-de-Almas, que levou consigo a tribo dos Croatan.

Igor se identificava com a história do Irmão do Meio de forma ímpar. O Presas conhecia a sensação de estar de frente a uma manifestação da Wyrm Triática, e a mera lembrança fez com que seus pêlos da nuca se eriçassem. Ele sabia que sempre que a Wyrm se manifestava dessa forma, um grande sacrifício era necessário para contê-la. A Casa do Céu Dourado fizera o mesmo sacrifício pela Mãe, mas em tempos tão antigos que poucos eram os luas minguante que ainda se lembravam de como cantar a Canção da Alvorada.

Mas aquela era um história sobre esperança, afinal. A Tartaruga acordara para proteger o caern do espírito que os assolara na noite passada, sacrificando-se mais uma vez para que eles pudessem viver, para combater a Wyrm e impedir que ela engula o mundo em seus tentáculos de corrupção.

Seguindo o exemplo dos Wendigo, o Presas também ofereceu seu sangue em honra ao espírito da Tartaruga.



Última edição por Igor Petrunov em 25.05.18 19:35, editado 1 vez(es)
Alek
Alek

Mensagens : 238
Data de inscrição : 04/04/2018

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty ESPÍRITO TRANQUILO (crinos) - SEITA / NARRAÇÃO

Mensagem por Evan Ballmer em 25.05.18 18:03

O albino se surpreende um pouco com o veredicto de Deganawiga, achava Wendingo teriam um raciocínio mais próximo aos Fenris quanto a força e fraqueza. Não esperava dele aquela absolvição de tudo. Mas a cada momento via mais naquele juiz um ato de mediador. E de certa forma o apreciava por isso.
 A índole do juiz é atacada e Temido-comk-volcões, bate seu martelo no chão, levando num tremor o albino e muitos ali ao chão.

 *Podia ter ficado só no acusador não? Mas, para quem está ali defendendo que Litânia não deve ser quebrada, falando em protocolos, ofender a índole e não só exatamente o trabalho de um philodox cliath, é problemático, mesmo sendo ragabash...*

 O julgamento segue e os outro não relevamos tanto quanto o juiz de sua matilha, mas ao menos Estrela-da-Manhã estava viva. 

 *Quando se está muito a cima... Tem muitos olhos sobre... A queda é maior e precisa ser exemplar, deixar marcas para outros não fazerem e não crerem em privilégios...*

 Nisso Temido comenta olhando para ele e todos das matilhas da Zona Oeste, que não teria alívio serem parte de profecias e não havia mais espaço a erros.
 O albino só suspira ouvindo aquilo.
 Então mais uma rodada de torneios é iniciada. O albino assiste em silêncio. Vendo mais uma vez um fetiche ser queimado em honra a Boitatá, achando um pouco exagerada a ação da Guarra-Vermelha, e por fim observa a tribo Presa de Prata uivar pelo impuro Mão-do-Rei.

 *Acho que é algo pessoal mesmo com o "Rei-dos-Mulos" e a tribo...*

 Terminado os torneiros é iniciado um ritual em honra ao sacrifício da Tartaruga. O theurge assiste aquilo prestando atenção aos detalhes e maravilhado com tudo. Observa a fumaça do cachimbo que sai no formato de tartaruga, tanto quando outros o usam, quanto ele mesmo é o usuário, ao cachimbo passar em sua mãos. Compartilhar era importante naquele momento.
 É levado pelo som da viola e a história, vê tudo a volta diferente e sente como queriam aquela história que era contada.
 Ele conhecia um pouco daquela história, lembrava de ter ouvido e das tentativas falhas dos Fios de Gaia entre tentar criar pactos e união entre as tribos naquele momento histórico, mas via agora ela com muitos mais detalhes do que via ouvira antes. Na história havia dor e havia esperança.
 Os garous doam sangue e gnose, e seguindo o exemplo Espírito-Tranquilo faz o mesmo. Ele não tinha visto ocorridos, mas aquela seita estar de pé e Boitatá livre era responsabilidade da Tartaruga e outros espíritos e em honra disso e da esperança no despertar dos espíritos antigos que ele doa o sangue e gnose temporária.

 *Obrigado nobre espírito por nos proteger com sua concha e nos trazer esperança para novo despertar.*

 O arranjo de plantas, objetos e sangue cria vida e trás uma mensagem importante, focado sobre juiz de sua matilha. Era uma mensagem de alerta e esperança. Algo que juiz precisava depois de tantas profecias duras.

 *Última filha da tartaruga... Renascer de tribo...*

 Bota os olhos sobre Deganawiga por um momento, e então vê aquele arranjo de plantas se desfazer e envolver toda a seita. A energia toca os garous que se sentem mais recuperados em seus espíritos e resolutos. O albino eleva a cabeça para o alto pela primeira vez como se farejasse o ar, sentindo a força daquele momento, e depois volta-se novamente ao chão, e comenta baixo para a matilha.

 "- É-é isso... União... T-teu sangue e meu sangue... Nosso sangue juntos... Faz todos mais fortes..."

-----------
OFF: 
Doa sangue e 1 de gnose temporária.
Recupera 1 de gnose e 1 de força de vontade.
Evan Ballmer
Evan Ballmer

Mensagens : 263
Data de inscrição : 24/04/2018

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Convidado em 25.05.18 18:44

Forma – Crinos
 
Olhos de Gaia segue acompanhando os torneios e as lutas impressionantes que se seguem ao lado de sua matilha. Logo em seguida, os Wendigo começam sua homenagem com aquele totem da tartaruga, e o cachimbo, que passa de mãos em mãos.
 
Atento, o Garou observa o fetiche passar por várias matilhas até chegar a sua, e então ele se posiciona de maneira a ser o primeiro a pegá-lo.  Então, curioso ele observa o cachimbo e o cheira, absorvendo o aroma de tabaco, que só pela proximidade já afetava seus nervos, com cuidado, coloca a boca do cachimbo em seus próprios lábios, e com uma puxada de ar, talvez mais forte do que o necessário, suga a fumaça do tabaco para seu pulmão. O que segue, não podia ser diferente, Olhos de Gaia engasga e cospe uma quantidade grande de fumaça que toma a forma de uma tartaruga, apesar de quase ter matado o Lupino.
 
Apesar disso, ele sente o efeito daquela tragada, e junto com a história que escutava, passa o cachimbo adiante, na direção de Cordas-Trêmulas, a mais próxima de si.
 
“- Fumaça estranha... cof cof... Interessante.”
 
A história contava sobre os três povos que habitavam a terra pura, e o som daquele instrumento faz o Lupino novamente viajar em sua mente, ele estava acostumado a ter seus sentidos apurados, mas não tanto quanto aquilo, e ver aquela mata, aquela cena com a fogueira do Boitatá e os Filhotes o encantam como Gaia podia ser boa e bela, e o impulsionam mais ainda a defendê-la.
 
A tartaruga ganha vida com a Gnose doada por toda a seita, e o Lupino não deixa passar a oportunidade, doando sua essência espiritual para o ritual ele observa a tartaruga ganhar vida e falar com Sangue-dos-Quatro-Ventos. Ele escuta as palavras com atenção e se sente revigorado pela essência do ritual dos Wendigo.

OFF: doei 1 de Gnose para o ritual.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Assembleia LXVI | Quebra do Osso | Torneio Theurge Cliath | Final

Mensagem por NarraDiva em 25.05.18 19:18

Júbilo-das-Górgonas volta a tomar o centro da assembleia. A Fúria Negra exibe um cajado negro e fala:

'- Para honrar o Boitatá e esta Seita, a final do Desafio Theurge Cliath reúne o Uktena da Olhos da Tempestade, Sussurros-Solitários e o Presas de Prata da Guardiões da Canção Ancestral, Filho-da-Alvorada.'

O Mestre do Desafio se posiciona ao centro, esperando pela dupla e dizendo quando os dois chegam:

'- Juram pela verdade de Gaia não possuírem nenhum dom, ritual ou outro mecanismo que utilizaram para aumentar seus atributos e suas habilidades?'

Após o juramento, o Juiz indica a posição de cada um e dá autorização para o começo da batalha.

Like a Star @ heaven Iniciativa da Rodada: Sussurros-Solitários 20 x 14 Filho-da-Alvorada
NarraDiva
NarraDiva
Admin

Mensagens : 4789
Data de inscrição : 25/06/2017
Idade : 36
Localização : Моско́вский Кремль

https://7joiasdacoroadegaia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Flagelo-da-Wyrm - Assembléia

Mensagem por Convidado em 25.05.18 20:25

Crinos


Flagelo-da-Wyrm observava o ritual, uma das coisas que achava fascinante na sociedade Garou era essa parte, o cuidado na fabricação da tartaruga era impressionante e nesse instante sentia a fogueira de Boitatá lhe aquecer, fato que tornava ainda mais reconfortante a situação.


O Galliard começa a dedinhar uma viola, em pouco tempo o cachimbo aceso pelo Theurge chega até ele que bafora e observa a tartaruga de fumaça até se dissipar. O som do Wendigo era magnífico, fazia o lembrar dos Skalds de sua época de filhote.


Conseguia relevar naquele instante e ao mesmo tempo que o som invadia seus ouvidos ele começava a perceber a mata se agitar, era capaz de ver alguns Garous correndo através dela mas não os de sua Seita, quando olha em sua volta sua percepção era mais forte mas captava um local totalmente diferente. Era capaz de ver um grande combate entre vários Garous sua atenção estava fixa nos Fenris alguns conjurando lovos gigantes, uma levantava um martelo ao céu com raios em volta, outros invocavam canções e espíritos para fortalecer seus irmãos e lutar mas o que mais lhe chamava a atenção era um que lutava empunhando um machado, com um cabo de madeira que parecia que uma árvore havia brotado ali, ele lutava com grande ferocidade e ceifava seus oponente com movimentos de sua arma, a semelhança consigo era absurda, fato que o deixava espantado.


*Ele se parece comigo?*


Também haviam Fiannas, Senhores das Sombras e Presas de Prata que lutavam para destruir os puros e tomar seus Caerns.


*Eles repetem os mesmos erros a todo momento, Garou contra Garou, como o que aconteceu na noite anterior.*


Era capaz de sentir a Wyrm se fortalecer naquele local, isso ouriçava seus pelos, a cada Caern tomado conseguia observar o Fenris participando e o crescimento da Wyrm até a chegada a Roanoke, nesse momento a corruptora estava forte, muito mais forte que ele imaginava que poderia ser possível, ele vê os Crotan batalharem, impedirem ela e serem destruídos no processo...


*Devoradora de Almas...* - Quando as palavras sussurram em sua mente ele pisca, estava vendo e ouvindo Rugido-de-Tupilaq, seu olhar se volta a Réquiem.


Conforme o Theurge, o Galliard e o Alto Conselho doam seu sangue o Modi se desloca até a tartaruga, abre um corte no braço, doando sangue e gnose diz.


- Por Naurú.


E retorna para seu local, aquele momento fora marcante pra ele, mesmo a contra gosto sabia que seu futuro seria ali mas gostaria de saber como.


Assim que o ritual termina Júbilo das Górgonas se volta ao centro da Clareira é chama mais uma luta, dessa vez entre os Cliaths Theurges a atenção se vota para o combate.

Off Topic
Modi - Ahroun
Doa de Gnose

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Convidado em 25.05.18 21:04

SEITA | CHRINOS

Após expressar a sua opinião sobre o que a Ragabash havia feito, Olho da Tormenta foca a sua atenção nos combates.

Ele não pode deixar de reparar que um dos Senhores das Sombras derrotou um dos Fenrir ali, porém, ele não expressava alegria. Senhores das Sombras não eram muito afoitos por vangloriar outros da Tribo, tendo em vista a paranóia natural da tribo.

Ele observa o resto dos combates e, depois, caminha até o local de doação de Gnose e sangue, fazendo um corte no seu pulso com os dentes e derramando um pouco em prol do totem que guardava aquele Caern.

Depois, voltou ao seu lugar e se preparou para assistir aos outros torneios em paz, com os membros de sua matilha.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Convidado em 25.05.18 21:27

Antonio Xavier assiste a vitória de Duas-caras e se impressiona com o poder do Senhor das sombras.

A luta seguinte é das mais incríveis que Antonio já assistiu na vida, Mão-do-rei mostra ter habilidades impressionantes e se torna um "grande" campeão.

Uma nova etapa da assembléia começa e a história da tartaruga é uma grande fonte de aprendizado, o theurge sente um imenso respeito. No.momento que o cachimbo passa por suas mãos, Antonio o passa para frente sem utiliza-lo: o Portador da luz não gostava de nada que o fizesse perder o controle de si mesmo, mas respeitava o.direito dos outros em usar.

Sereno-trovão se aproxima da Tartaruga e doa um pouco de seu sangue e 1 ponto temporário de Gnose. Retorna para sua matilha respeitosamente.

Quando a nova final é chamada, Antonio se sente ligeiramente incomodado, porque gostaria de estar ali lutando pelo totem e sua matilha.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Alek em 25.05.18 22:29

Igor finalmente foi chamado por Júbilo-das-Górgonas para a final do torneio, mas seu olhar permanecia fixo no outro lado da Clareira, em Sussuros-Solitários, que começava a se aproximar do local do combate.

O Presas caminhou, um tanto tenso pelo peso da responsabilidade que carregava nas costas, até o centro da clareira e ouviu as palavras da Fúria Negra pela terceira vez naquela noite, mas dessa vez ela os fez jurar sob a verdade de Gaia que estavam por si sós naquele combate.

"Parece que vou ter que fazer isso sozinho." - pensou, dirigindo-se ao Rei.

A resposta de Arak, no entanto, fez com que o Presas meneasse a cabeça e lançasse um olhar surpreso para Sussurros-Solitários, nitidamente intrigado.

"Do que diabos você está falando?" - pensou, respondendo seu Ancestral.

A resposta não viria em tempo, pois a luta havia começado com uma investida feroz do Uktena, que avançava com uma mordida na direção do Presas. Igor tentou desviar, mas Sussuros-Solitários o atingiu em cheio, afundando as presas na carne e músculos do filho do Falcão.

"Esse filho da puta é muito rápido!" - pensou o Presas, enquanto suportava a dor e tentava, sem sucesso, retribuir a mordida.






------------
OFF: Tomou 3 de dano da mordida de Sussuros-Solitários.


Última edição por Igor Petrunov em 25.05.18 22:52, editado 1 vez(es)
Alek
Alek

Mensagens : 238
Data de inscrição : 04/04/2018

Voltar ao Topo Ir em baixo

Clareira Central - Página 12 Empty Re: Clareira Central

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 12 de 40 Anterior  1 ... 7 ... 11, 12, 13 ... 26 ... 40  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum